Bosch Imprensa
Releases
Releases Anteriores
Press Kit
Calendário de Eventos
Banco de Imagens Internacional
Press Forum Internacional
Serviços
Contatos
Solicitações de Imprensa
 
 

topo da página
Informações institucionais
CES 2018: Bosch vê futuro nas cidades inteligentes
- Stefan Hartung: "Por muito tempo, a cidade inteligente era apenas uma visão. Estamos ajudando a torná-la realidade"
- Adeus à poluição: Sistema Climo mede e analisa a qualidade do ar em tempo real
- Fim das inundações: Sistema de monitoramento digital mede nível de água dos rios e avisa sobre o risco de inundação com antecedência
- Bosch oferecerá sistema de estacionamento comunitário em mais de 20 cidades dos Estados Unidos a partir de 2018


Las Vegas, Nevada - As populações urbanas estão crescendo: de acordo com as Nações Unidas, cerca de dois terços da população global viverão em conurbações até 2050 - em 2014, este número equivalia apenas à metade. A urbanização está crescendo e, junto dela, desafios que devem ser resolvidos por meio de soluções inteligentes.
Durante a CES em Las Vegas, Stefan Hartung, membro do conselho de administração da Bosch na Alemanha disse: "Precisamos de uma nova concepção de cidade, no qual o fator chave é a tecnologia que tornará as cidades inteligentes e eficientes. A longo prazo, cidades não-inteligentes não sobreviverão, sucumbindo ao engarrafamento".
A Bosch está trabalhando para equipar cidades para o futuro oferecendo mobilidade inteligente, melhor qualidade do ar, mais segurança, conveniência e diversos outros serviços. Em suma, o objetivo é atingir uma qualidade de vida significativamente melhor nos centros urbanos. "Quando o assunto é cidades inteligentes, poucas empresas podem combinar o portfólio abrangente da Bosch, o conhecimento entre domínios e uma excelente experiência em sensores, softwares e serviços - e, tudo isso, por meio de uma única fonte", destaca Hartung.
Nos dias 9 a 12 de janeiro, a fornecedora de tecnologias e serviços apresentará diversas soluções que tornam cidades inteligentes na CES 2018, a maior exposição de tecnologia do mundo. No evento, os participantes poderão conferir desde uma nova unidade compacta que mede e analisa a qualidade do ar em tempo real, um sistema que monitora digitalmente os níveis de água dos rios e avisa com antecedência os riscos de inundação, até um serviço de estacionamento completamente autônomo que facilita a vida do condutor.

Mais negócios: o mercado das cidades inteligentes está crescendo
Algumas das principais metrópoles do mundo já são sinônimos do termo "inteligente" - incluindo Barcelona, Seul e Londres. Ao redor do mundo, pequenas e grandes cidades estão investindo em tecnologias inteligentes e, até 2020, este mercado deverá crescer 19% ao ano, atingindo um total de 800 bilhões de dólares. A Bosch acredita que esta é uma ótima oportunidade de negócio: "Por muito tempo, a cidade inteligente era apenas uma visão. Nós estamos ajudando a torná-la realidade. A Bosch está em uma excelente posição para tornar as cidades conectadas um sucesso comercial e tecnológico", afirma Hartung.

Atualmente, a empresa está envolvida em 14 projetos extensivos em cidades como São Francisco, Singapura, Tianjin, Berlim e Stuttgart - além delas, outras também estão planejadas para participar. Nos últimos dois anos, a Bosch dobrou o número de vendas de projetos com estes vieses, alcançando cerca de um bilhão de euros e há expectativa de crescimento ainda maior nos próximos anos.

Na Baía de San Leandro, por exemplo, a empresa equipou cerca de 5000 postes de iluminação com LEDs, além de fornecer um sistema de gerenciamento remoto da iluminação pública da cidade. Dessa forma, as luzes só são ligadas quando realmente necessário. Com esta solução, San Leandro poderá economizar cerca de oito milhões de dólares nos próximos 15 anos.

Durante a coletiva de imprensa da Bosch CES, Mike Mansuetti, presidente da Bosch América do Norte, disse: "Seja em cidades grandes ou pequenas, nossas soluções inteligentes auxiliarão na economia de energia e de dinheiro. No caso de San Leandro e seus 100 mil habitantes, os sensores podem ser usados para medir e analisar a qualidade do ar e as câmeras podem redirecionar automaticamente o tráfego em casos de congestionamento".

Para mais conectividade: IoT e inteligência artificial
A internet das coisas (IoT) tornou-se uma das principais bases da cidade conectada. A solução está encontrando um caminho em todos os setores da vida: um estudo da empresa de consultoria Gartner prevê que cerca de 230 milhões de lares em todo o mundo - aproximadamente 15% de todas as casas - serão conectados de forma inteligente até 2020. Aqui, o potencial também é expressivo, com um volume de mercado estimado em 250 bilhões de dólares, anualmente, até 2020. No mesmo ano, mais de 20 bilhões de dispositivos estarão conectados ao redor do mundo - detectores de fumaça, alarmes antifurto, medidores de eletricidade, eletrodomésticos e muito mais. "A Bosch percebeu este potencial desde o início", diz Hartung. "Até hoje, mais da metade dos nossos produtos eletrônicos é passível de conectividade, e o nosso objetivo é atingir 100% até 2020", completa o executivo.

Outro fator que auxilia no rápido desenvolvimento das cidades inteligentes é a Inteligência Artificial (AI), e a Bosch pretende expandir ainda mais sua pesquisa neste campo. No último ano, a empresa inaugurou um centro de pesquisa de Inteligência Artificial, que hoje emprega cerca de 100 associados em Renningen
(Alemanha), Palo Alto (Califórnia) e Bengaluru (Índia) - e até 2021 aproximadamente 300 milhões de euros devem ser investidos na expansão desses centros. Segundo a companhia, dentro de dez anos quase nenhum produto será desenvolvido sem AI.

Melhor qualidade do ar: Climo cria base para ação direcionada
A qualidade do ar é um dos maiores desafios que as cidades enfrentam. Graças às tecnologias inteligentes, as cidades podem tomar medidas mais rápidas e direcionadas para melhorá-lo.

Na CES 2018, a Bosch apresenta uma nova solução que desenvolveu em conjunto com a Intel - o sistema de monitoração de microclima Climo, que mede e analisa 12 parâmetros importantes para a qualidade do ar, incluindo dióxido de carbono, óxido de nitrogênio, temperatura e umidade relativa. O aparelho tem um centésimo do tamanho dos sistemas convencionais - e um décimo do custo - e ganhou o Prêmio de Inovação CES Honoree na categoria "cidades inteligentes".

Monitoramento digital de rios com aviso prévio
Em muitas regiões, as mudanças climáticas estão tornando o tempo imprevisível. Pesquisadores esperam que as chuvas mais fortes gerem alagamentos mais frequentes e, ainda hoje, são utilizados dispositivos mecânicos para medir os níveis de água. O sistema de monitoramento de inundações, por outro lado, mede em tempo real o nível da água em rios e lagos próximos às cidades e avisa sobre o risco de inundações iminentes.

Com o projeto piloto, a Bosch está testando o novo sistema no Rio Neckar, próximo à Ludwigsburg, na Alemanha. Sondas de sensores ultrassônicos e câmeras rastreiam mudanças no nível, da velocidade da água e os dados são enviados para processamento na nuvem Bosch IoT. Caso os limites críticos sejam excedidos, os moradores e empresários afetados são alertados por mensagem de texto com antecedência - isto dará à população tempo suficiente para se precaver contra os danos causados pelas inundações. Entre os interessados pela solução, estão diversos municípios da Índia e da América do Sul.

Economia de tempo com estacionamento conectado
O tráfego urbano deverá crescer em um terço até 2050 e a Bosch está trabalhando para tornar a mobilidade do futuro livre de acidentes, estresse e emissões. Na CES 2018, a empresa apresentará diversas soluções que levam a este objetivo. Além disso, o tráfego faz parte de aproximadamente metade dos projetos de cidades inteligentes em que a Bosch está envolvida.

O estacionamento, por outro lado, é um ponto importante. Nos Estados Unidos, os motoristas perdem mais de 40 horas por ano presos no congestionamento, desperdiçando cerca de 160 bilhões de dólares neste processo. Dentro deste período de tempo, quase um terço é desperdiçado na busca por uma vaga de estacionamento. Aqui, a Bosch pode ajudar: com seu estacionamento autônomo, a empresa simplifica a busca por uma vaga adequada.

Enquanto o motorista dirige, o veículo automaticamente reconhece e mede os espaços entre os carros estacionados, transmitindo os dados em tempo real para um mapa digital. Dessa forma, os motoristas são guiados diretamente para vagas disponíveis. A Bosch já está testando este serviço em cidades da Alemanha, incluindo Stuttgart. Ainda neste ano, mais 20 cidades dos Estados Unidos participarão deste projeto, incluindo Los Angeles, Miami e Boston.

Já no início de 2018, a Bosch e a Daimler lançarão um novo serviço de estacionamento autônomo no Museu da Mercedes-Benz, em Stuttgart. No local, os carros poderão estacionar sozinhos, sem motorista, reduzindo o estresse e fazendo o uso mais eficiente do espaço do estacionamento - podendo acomodar até 20% a mais de veículos. A infraestrutura de estacionamento inteligente é o fator que torna o estacionamento totalmente autônomo uma realidade, que conecta ao computador de bordo do veículo. Recentemente, a Bosch venceu o prêmio de Inovação Tecnológica 2017 da Frost & Sullivan, com a solução de estacionamento inteligente.

Economia de custos e energia com Bosch DC microgrids
De acordo com o Painel Internacional sobre Mudanças Climáticas (IPCC), as cidades representam cerca de 75% do consumo total da energia global. Dentre eles, 40% são atribuídos apenas aos edifícios. De acordo com a BP Energy Outlook 2035, o consumo global de energia deve crescer em 30% até 2035.

Para reduzir o consumo de energia, a Bosch oferece diversas soluções inteligentes de gerenciamento de energia. Uma delas é a Bosch microgrid DC (corrente direta), que pode ser usada para fornecer energia para grandes edifícios ou complexos. Como as microgrids (ou microgrículas) geralmente são alimentadas por fontes renováveis, elas são especialmente amigas do meio ambiente, consumindo até 10% a menos de energia do que as usinas de energia convencionais. Outra grande vantagem é a sua autossuficiência, que as tornam uma fonte confiável de energia quando há uma interrupção de energia relacionada a tempo ou segurança que afetem a rede elétrica convencional.


Bosch na CES 2018:
- COLETIVA DE IMPRENSA: Nos Salões de Festas B, C e D do Mandalay Bay Hotel, Centro de Convenções Sul de Las Vegas, nível 2, das 8:00 às 8:45 de segunda-feira, 8 de janeiro
- ESTANDE: De terça à sexta-feira, dias 9 a 12 de janeiro, no Salão Central - estande número 14028
- Siga a Bosch CES 2018 no Twitter com a hashtag #BoschCES - Painéis com especialistas da Bosch
- Terça-feira, 9 de janeiro, das 13:00 às 15:15 (horário local) - "Connect2Car: Automobilismo da próxima geração" com Kay Stepper, vice-presidente da Bosch América do Norte, chefe de assistência ao condutor e direção autônoma, Las Vegas, Centro de Convenções, Salão Norte, N256
- Quarta-feira, 10 de janeiro, das 13:45 às 14:30 (horário local) - "Veículos conectados em ecossistemas conectados", com Mike Mansuetti, Presidente da Bosch América do Norte, Conferência Cidades Inteligentes, Westgate
- Quinta-feira, 11 de janeiro, das 11:30 às 12:30 (horário local) - "O futuro dos robôs em casa e no trabalho" com Phil Roan, Engenheiro Sênior de robótica da BSH Hausgeräte GmbH, Centro de Convenções de Las Vegas, Salão Norte, N258


Atendimento à imprensa

Melita Delic +49 711 811-48617, Agnes Grill +49 711 811-38140,
Trix Böhne +49 30 32788-561, Annett Fischer +49 711 811-6286,
Briela Jahn +49 711 811-6285

A história de sucesso da Bosch no Brasil iniciou-se em 1954 na cidade de São Paulo. Atualmente o Grupo Bosch emprega no país cerca de 8.500 colaboradores e registrou, em 2016, um faturamento líquido de R$ 4.4 bilhões com a oferta de produtos e serviços automotivos para montadoras e para o mercado de reposição, bem como ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e tecnologias industriais. As operações do grupo na América Latina empregam cerca de 10.000 colaboradores que contribuíram para gerar um faturamento de R$ 5.7 bilhões, incluindo as exportações e vendas das empresas coligadas. Para mais informações: www.bosch.com.br

O Grupo Bosch é um líder mundial no fornecimento de tecnologia e serviços. A empresa emprega mais de 390.000 colaboradores em todo o mundo (posição de 31.12.2016).A empresa gerou vendas de 73.1 bilhões de Euros em 2016. As operações do Grupo estão divididas em quatro setores de negócio: Soluções para Mobilidade, Tecnologia Industrial, Bens de Consumo e Energia e Tecnologia Predial. Como uma empresa líder em IoT, a Bosch oferece soluções inovadoras para casas e cidades inteligentes, mobilidade e indústria conectadas. A empresa utiliza sua expertise de tecnologia de sensores, software e serviços, assim como sua própria nuvem de IoT para oferecer aos seus consumidores conectados, soluções a partir de uma única fonte. O objetivo estratégico do Grupo Bosch é disponibilizar inovações para uma vida conectada e aprimorar a qualidade de vida em todo o mundo com produtos e serviços inovadores concebidos para fascinar. Assim, a empresa cria "Tecnologia para a Vida". A base para o crescimento futuro da organização é sua força inovadora. A Bosch emprega 59.000 colaboradores na área de pesquisa e desenvolvimento em 120 localidades em todo o mundo. Mais informações:www.bosch.com, www.iot.bosch.com, www.bosch-press.com, www.twitter.com/BoschPresse

8/1/2018
Downloads
Release (391kb)
 
Estande Bosch na CES 2018
II08436.jpg (2049024 Bytes)
 
Bosch trabalha para equipar as cidades do futuro
II08437.jpg (1799641 Bytes)
 
Autor
Alessandra Nascimento
Voltar