Ir para o conteúdo principal

Revolução à vista: qual será o papel da tecnologia 5G na indústria do futuro

5G

O conceito de revolução, atualmente, está associado à tecnologia, e não é para menos. As redes sem fio privadas em ambientes produtivos podem ser consideradas um ponto-chave para o sucesso e a competitividade da indústria do futuro; especialmente nos processos de aplicação crítica e que requerem absoluta precisão.

Com latência próxima de zero, confiabilidade de 99,99% e altíssima taxa de transmissão, a tecnologia 5G promete dar o impulso necessário para um mundo onde a Internet das Coisas (Internet of Thinhgs —IoT) será uma realidade em todos os segmentos da sociedade. Entenda qual é o papel da tecnologia 5G na indústria e como se preparar para ela neste artigo.

Como a tecnologia 5G apoiará a manufatura?

O 5G é a nova grande revolução, que mudará de forma decisiva a manufatura industrial. Considerado o pilar da indústria 4.0, ele permitirá um salto em direção a fábricas predominantemente autônomas, em que os responsáveis pelo registro e análise de dados serão os sensores. A Inteligência Artificial fará os ajustes de forma contínua para que a produção se mantenha sempre de acordo com a demanda.

A possibilidade de um monitoramento 24 horas por dia, ininterruptamente, permitirá que o desempenho e a segurança sejam otimizados. Isso também é resultado de uma manutenção preventiva eficiente e da redução do tempo de inatividade dos equipamentos.

Por que a tecnologia 5G poderá revolucionar o mercado?

Não há dúvidas que teremos uma revolução no processo da transformação digital com a chegada do 5G. E há números que já refletem isso: latência de apenas milissegundos, confiabilidade (99,99%) e altíssima taxa de transmissão - 20 vezes mais alta que o 4G. Esse novo padrão de transmissão de dados trará um grande impulso no mundo da Internet das Coisas (IoT), que impactará todos os segmentos da sociedade.

Com isso, a interação entre o mundo digital e o real se dará por meio de um fluxo contínuo e, muitas vezes, imperceptíveis, aliado ainda a um alto nível de segurança e flexibilidade. Pesquisas apontam que em 2025 haverá 70 bilhões de dispositivos conectados com 5G em todo o mundo.

Não estamos nos referindo apenas a smartphones, drones, carros autônomos ou equipamentos industriais. O uso dessa inovação tecnológica se estenderá de itens inusitados e corriqueiros, como lâmpadas e eletrodomésticos, simples problemas nas instalações elétricas de uma residência, até sistemas avançados de mobilidade urbana ou no segmento médico.

Em redes de varejo, a tecnologia de reconhecimento facial pode ser utilizada para identificar os clientes, proporcionando uma experiência muito mais personalizada. A Inteligência Artificial (IA) — que ainda é usada de forma limitada porque demanda muito em termos de rede e armazenamento — será a grande gestora e abrirá as portas para um nível de inovação nos negócios sem precedentes, a uma velocidade surpreendente.

Como essa tecnologia pode agregar na criação de diferencial competitivo para a indústria?

5G

Tecnologias habilitadoras, como a visão computacional ou robôs autônomos, já se beneficiam da Inteligência Artificial e do uso do conceito de redes neurais — mais conhecido pela expressão machine learning — e serão altamente beneficiadas pela redução do tempo entre o envio de comandos e o retorno dos dados.

O tempo de latência estimado na rede 5G é de menos de 5 milissegundos, característica que viabilizará o uso de armazenamento em nuvem em larga escala. O maior reflexo será o aumento da eficiência de equipamentos e o compartilhamento de informações em tempo real.

As empresas que já se preparam para o uso da tecnologia logo poderão contar com uma rede mais estável, em que será possível conectar inúmeros equipamentos e dispositivos ao mesmo tempo sem provocar falhas ou comprometer a eficiência dos processos. Dessa forma, é possível garantir produtos de qualidade constante, que serão fabricados com muito mais velocidade e menor custo.

Imagine todas essas informações importantes de uma indústria alocadas na nuvem e transitando de um equipamento a outro, como fica a questão da segurança? A rede 5G sustenta que virá com protocolos avançados de segurança que dificultarão o vazamento das informações e a invasão dos sistemas.

Quais são os desafios para implantar o 5G no Brasil?

A indústria nacional tem um desafio e tanto pela frente: a modernização e adequação de máquinas e equipamentos para que sejam capazes de se conectar entre si, via rede, para a troca de informações em tempo real.

Essa é uma preocupação urgente que precisa de ações imediatas. Afinal, a perspectiva é de que todos os processos passem a ser conectados de forma digital em um futuro não muito distante.

Como está a implantação da tecnologia 5G no Brasil?

Enquanto em outros países a rede 5G já está sendo usada, aqui no Brasil a implantação ainda depende do leilão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Após atrasos no edital, que foi aprovado em fevereiro de 2021, o processo encontra-se no Tribunal de Contas da União (TCU).

Segundo informações do Ministério das Comunicações, o leilão, que definirá quais empresas poderão operar nas frequências disponibilizadas para o 5G, deverá ser realizado ainda em 2021.

Apesar dos entraves burocráticos e das disputas políticas, algumas operadoras, empresas, institutos e universidades já estão testando o serviço, de forma experimental, com a devida autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para cunho de pesquisa em algumas cidades brasileiras. A previsão é de que as capitais do país tenham acesso ao 5G até 2022. Contudo, a tecnologia deve chegar de fato ao Brasil todo somente no ano de 2023.

Os critérios de avaliação e implantação do 5G no Brasil foram baseados em referências internacionais da 3GPP (3rd Generation Partnership Project). Isso significa que, provavelmente, o serviço seguirá o mesmo padrão que em outros países; facilitando, dessa forma, a integração de equipamentos de diferentes nacionalidades.

Como a Bosch está se preparando para a chegada do 5G?

The Internet of Things presents – Manufacture #LikeABosch

A Bosch é uma líder global no fornecimento de tecnologias baseadas em AIoT e já conta com experiência em 5G, já que atuando no desenvolvimento de soluções nessa área, tanto em seu próprio processo fabril, quanto na oferta dessa tecnologia a seus clientes.

A convicção de que a indústria será um dos segmentos mais beneficiados com a implementação do 5G levou ao desenvolvimento de projetos como o CtrlX Automation. Essa solução, inclusive, já atende aos requisitos internacionais de segurança cibernética - IEC 62443: uma série de normas sobre redes de comunicação industrial - segurança de TI para redes e sistemas. Trata-se da primeira plataforma de automação compatível com 5G desenvolvida pela Bosch Rexroth, que tem como função conectar uma ampla gama de dispositivos, garantindo assim uma conectividade consistente em toda a fábrica.

A Bosch acredita que o 5G será o responsável por um ambiente industrial ainda mais conectado — e já tem soluções tecnológicas desenhadas para isso — em que o wireless proporcionará a possibilidade de as empresas adequarem o layout e a logística de suas produções de forma mais ágil, segura e com muita flexibilidade. Nas fábricas do futuro, apenas as paredes, pisos e tetos não poderão ser reconfigurados em tempo real.

Outro exemplo de tecnologia inovadora da Bosch é o software inteligente ActiveShuttle, que permite a execução do transporte autônomo, estabelecendo novos padrões em intralogística. Essa solução suporta cargas de até 260 quilos e pode ser carregada e descarregada de forma totalmente automática, por meio de uma plataforma de elevação integrada.

Além dessas inovações e outras dezenas de projetos pilotos em desenvolvimento, a empresa conta com duas unidades na Alemanha com “5G Private Campus Network” em operação. A perspectiva é que, gradativamente, todas as plantas da Bosch tenham também suas redes privadas 5G, de acordo com as necessidades e demandas locais.

Várias soluções da Indústria 4.0 já são utilizadas nas cinco plantas industriais em operação No Brasil, o que torna a interação entre dados e pessoas uma realidade. Por isso, a utilização do 5G na manufatura no Brasil também é uma prioridade, haja vista que a maioria dessas soluções ainda precisam enviar os dados para um armazenamento local e depois para os servidores de manutenção.

Precisa de soluções imediatas para adequar sua empresa a essa nova realidade? Entre em contato conosco, nosso time pode ajudar!

Interessado nas soluções Bosch para a Indústria 4.0?

Compartilhe isso no: