sustentabilidade mãos unidas

Sustentabilidade: mudar atitudes nos conecta com uma vida melhor

O que é sustentabilidade?

Em dicionários da língua portuguesa, a sustentabilidade é definida como a condição ou característica daquilo que é sustentável. Mas o que isso significa na prática? Como esse termo pode ser aplicado nos diferentes aspectos da vida do ser humano e nas atividades que ele desempenha?

Trazendo para o cotidiano, a sustentabilidade tem relação com a adoção de técnicas, métodos, tecnologias, recursos, instrumentos e ferramentas que permitem fazer com que um processo ou sistema seja permanente.

Ainda parece complicado? Na verdade, não é. Para entender, basta pensar em um exemplo muito simples: a pesca. Se essa atividade for realizada em todas as épocas do ano indiscriminadamente, sem seguir nenhum critério, ela pode levar à extinção de uma espécie.

Afinal, existe um período reprodutivo que precisa ser respeitado para garantir que haverá uma próxima geração de peixes. Ao agir de maneira impulsiva, tentando capturar a maior quantidade, a disponibilidade reduz gradativamente, até que, em um determinado momento, os peixes deixarão de existir.

Uma pesca sustentável sempre garante que haverá uma população suficiente para manter a espécie. Ou seja, a atividade continua a ser realizada, mas é cumprida com responsabilidade para que seja duradoura.

Existem aspectos adicionais relacionados, como manter íntegro o habitat desses animais, evitar a poluição, garantir a sobrevivência de outras espécies que servem como alimento para eles e assim por diante.

Esse é apenas um exemplo simples. A sustentabilidade ambiental pode estar presente em diversos processos. Ela engloba:

⦁ o consumo de recursos naturais;
⦁ a exploração da natureza;
⦁ a utilização de fontes energéticas;
⦁ o descarte de materiais.

Como ela pode ajudar?

A sustentabilidade é apontada como uma das soluções para diversos problemas globais, como:

⦁ efeito estufa;
⦁ escassez de água potável;
⦁ alto consumo de energia;
⦁ fome;
⦁ desigualdade social.

Mas como as atitudes sustentáveis podem ter um impacto direto em todos esses aspectos? Segue mais um exemplo prático para conceituar a sustentabilidade, a relação entre as atividades humanas e a sobrevivência dos indivíduos.

Imagine que uma pessoa ganhou na loteria. Aquela grande quantidade de dinheiro é empolgante e traz a sensação de que nunca terá fim. Assim, a pessoa começa a gastar impulsivamente. Quem está de fora pode perceber que chegará um momento em que esse dinheiro acabará porque ele é somente usado, não investido.

Fazer um investimento ou adquirir uma empresa, por exemplo, possibilitaria que esse dinheiro rendesse. Se calculasse bem os gastos e se planejasse antes das aquisições, o ganhador faria um uso sustentável do dinheiro e garantiria que ele não esgotasse.

Basicamente, é o que tem acontecido com a água doce do planeta Terra. São tantas fontes naturais que as pessoas têm a impressão de que ela nunca vai acabar, mas esse é um recurso finito, uma vez que o planeta não produz água.

Sendo assim, o incentivo a um consumo sustentável desse recurso o deixará disponível para as próximas gerações. Uma forma do uso consciente desse bem finito é o manejo correto das florestas e a preservação delas, que impactará o equilíbrio do clima global. Além de preservar a água disponível, esse processo ajuda a evitar grandes secas que prejudicam a produção de alimentos, levando à escassez e à fome.

Sustentabilidade nas atividades econômicas e industriais

É muito importante entender que a sustentabilidade está diretamente relacionada à preservação da natureza, o que não implica apenas em não cortar uma árvore. Ela está ligada a todas as atividades realizadas pelo ser humano, incluindo as econômicas e industriais.

Mas por que os processos de uma empresa local podem ter impacto global? A explicação está nos métodos adotados por determinado setor para realizar os seus processos produtivos. Afinal, são necessários insumos, matéria-prima e energia.

O uso racional desses itens garante a sua disponibilidade no futuro, mas não é só isso. Os processos geram resíduos — sólidos, líquidos ou gasosos, que precisam ser descartados. Sendo assim, uma ação sustentável evitaria o aumento da poluição no planeta.

Até mesmo os materiais utilizados para fabricar os produtos devem ser pensados com os olhos voltados à sustentabilidade. É importante considerar que haverá um descarte, tanto da embalagem quanto do próprio produto, quando este se tornar inviável para uso e/ou consumo.

Em uma ação mais sustentável, a preferência é pelo uso de materiais reciclados e biodegradáveis. Além disso, há a logística reversa, que dá o suporte ao cliente ao evitar o descarte de materiais de modo incorreto e que podem afetar a natureza.

Considerando o impacto coletivo dessas ações, existe uma grande influência em determinada região. Uma vez que as localidades interagem, há um impacto globalizado, consequência dessas ações pontuais.

Os pilares da sustentabilidade

Sustentabilidade círculo crianças

A sustentabilidade é baseada em pilares. Em geral, são consideradas oito formas de sustentabilidade:

⦁ social;
⦁ ecológica;
⦁ econômica;
⦁ territorial;
⦁ cultural;
⦁ espacial;
⦁ política nacional;
⦁ política internacional.

Dessas, as quatro mais conhecidas são: ambiental, social, econômica e empresarial. A seguir, você confere detalhes sobre cada uma.

Sustentabilidade ambiental

Relaciona-se de certo modo com o pilar ambiental, que está ligado a todas as ações que possam trazer algum impacto direto ou indireto ao meio ambiente — em curto, médio ou longo prazo.

Minimizar a produção de resíduos é um dos focos da sustentabilidade ambiental, para que não haja prejuízos à qualidade do meio ambiente. Também visa ao consumo consciente dos recursos e à exploração responsável da natureza. Isso contribui para a preservação das espécies e da biodiversidade.

Sustentabilidade social

A sociedade é formada por diferentes camadas, e a missão dessa sustentabilidade é reduzir as desigualdades entre elas. Ou seja, ela propõe que todas as pessoas tenham uma vida digna, com acesso a recursos e oportunidades iguais.

Na prática, envolve itens como a oferta de saneamento básico, a valorização da cultura, o cuidado com a saúde e o acesso a uma renda. São os aspectos essenciais para atender às necessidades básicas do ser humano.

A sustentabilidade social também se preocupa com as ações tomadas hoje e o impacto que elas exercerão no futuro. Isso serve para garantir a estabilidade do crescimento, a fim de assegurar a melhor distribuição da renda.

Sustentabilidade econômica

Aqui o foco é no desenvolvimento econômico sustentável. Esse tipo reúne práticas administrativas, financeiras e, claro, econômicas para que se alcance uma maior eficiência com gestão responsável em todos os setores.

Propõe-se a elaborar técnicas ou metodologias, a fim de que os processos produtivos consumam menos recursos, sem prejudicar o desenvolvimento econômico. Sendo assim, a meta é continuar a crescer, mas com impacto mínimo ao meio ambiente.

Basicamente, é o fazer mais com menos, com a diferença de que, nesse caso, importam também as metodologias adotadas. Busca-se a lucratividade em harmonia com a sustentabilidade.

Sustentabilidade empresarial

Esse tipo de sustentabilidade se baseia no compromisso de que as ações e decisões das empresas não vão:

  • degradar o meio ambiente;
  • levar a um consumo exagerado de recursos;
  • explorar o trabalhador.

Reúne estratégias para garantir um ambiente de trabalho seguro e saudável, com boas relações profissionais. A sustentabilidade empresarial extrapola os espaços da organização: também possibilita desenvolvimento pessoal e alcança a comunidade onde a empresa está inserida.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) — também conhecidos como Objetivos Globais — formam um conjunto de 17 metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU). É um chamado para todos os países trabalharem juntos, a fim de proteger o planeta, erradicar a pobreza e garantir a prosperidade e a paz.

Os ODS da ONU são:

  • erradicação da pobreza;
  • fome zero e agricultura sustentável;
  • saúde e bem-estar;
  • educação de qualidade;
  • igualdade de gênero;
  • água potável e saneamento;
  • energia acessível e limpa;
  • trabalho decente e crescimento econômico;
  • indústria, inovação e infraestrutura;
  • redução das desigualdades;
  • cidades e comunidades sustentáveis;
  • consumo e produção responsáveis;
  • ação contra a mudança global do clima;
  • vida na água;
  • vida terrestre;
  • paz, justiça e instituições eficazes;
  • parcerias e meios de implementação

Como visto, são muitos os objetivos a serem alcançados, que incluem os pilares da sustentabilidade citados. Relacionam-se a diferentes aspectos da natureza e do meio ambiente, assim como ao ser humano de maneira direta — e às ações e atividades que ele exerce.

Cada objetivo tem uma lista das suas próprias metas, com diversos aspectos que precisam ser observados para que haja sucesso na meta global. No ODS 12, por exemplo, são 12 itens e 3 subitens que exigem atenção.

É válido ressaltar que o apoio a países em desenvolvimento está entre as metas, com o objetivo de fortalecer suas capacidades tecnológicas e científicas. Como resultado, seus padrões são aprimorados e se tornam mais sustentáveis. Então, é ainda um convite para a cooperação global.

No momento, acontece uma ação conjunta entre países, organizações, instituições e empresas para que as metas dos ODS sejam alcançadas até 2030. Por isso, os governos, o setor privado, a sociedade civil e todos os cidadãos comuns precisam fazer a sua parte.

Bosch e ODS da ONU

A Bosch está comprometida com os ODS da ONU, tanto no que se refere aos seus processos produtivos e ao ambiente de trabalho quanto à criação de produtos e serviços que ajudam a melhorar a vida das pessoas.

A sustentabilidade do negócio em longo prazo, ao mesmo tempo que contribui para a proteção do meio ambiente, é pensada na geração atual e nas futuras. A empresa quer tornar as energias renováveis economicamente mais acessíveis e a mobilidade ainda mais segura, limpa econômica e confortável, assim como desenvolver soluções inovadoras com foco na sustentabilidade. Mudar atitudes conecta o mundo!

Mudar atitudes nos conecta com uma vida melhor

Sustentabilidade é um tema de interesse de todos. Portanto, deve ser pensada em nível global. É preciso agir agora, pois as ações do ser humano impactarão não apenas o futuro: elas já influenciam o presente.

O planeta pede socorro. É preciso ouvir o seu chamado e aplicar a tecnologia e o conhecimento obtidos pela humanidade para tornar métodos e processos sustentáveis. Dessa forma, é possível garantir a proteção do meio ambiente e da vida, assim como promover um crescimento responsável e efetivo.

A Bosch está sempre em busca de desenvolver tecnologias limpas e criar projetos para fazer a parte dela no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Continue a leitura e entenda mais sobre sustentabilidade, sua importância e as histórias de sucesso da Bosch na proteção do planeta!

O planeta pede socorro

Os impactos ambientais causados pela humanidade nos últimos anos geraram problemas, como:

  • destruição da camada de ozônio;
  • inundação;
  • extinção de espécies;
  • aumento do efeito estufa;
  • falta de água potável.

Eles já são sentidos pela sociedade, o que comprova a gravidade da situação.

Bosch Sustentabilidade - Infográfico - impactos ambientais causados pela sociedade

179mi de toneladas de resíduos sólidos urbanos gerados no Brasil. Fonte: Panorama dos Resíduos Sólidos, da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe)

274,5% da água consumida no Brasil é usada na irrigação, na pecuária, na mineração e nas indústrias. Fonte: Agência Nacional de Águas (ANA)

3O setor industrial no país é responsável por 37,5% do consumo de energia. Fonte: Balanço Energético Nacional - BEN

4O desmatamento é responsável por 44% dos gases do efeito estufa no Brasil. Fonte: Relatório do Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa (Seeg), do Observatório do Clima

Com o objetivo de ajudar a mudar esse cenário, diferentes setores da sociedade em todo o mundo se mobilizam. Ano após ano, repensam seus processos e investem em ações para encontrar soluções que contribuam positivamente para o meio ambiente. Nessa desafiadora missão, a Bosch também faz a sua parte!

Para a empresa, a sustentabilidade é intrínseca aos seus valores e às suas ações. O trabalho é focado em intensificar os esforços já bem-sucedidos para reduzir a emissão de carbono nas suas 400 localidades no mundo, ainda em 2020.

Todas essas ações da Bosch também buscam diminuir substancialmente a quantidade de resíduos descartada em aterros e desenvolver a autossuficiência em água nos processos fabris. A organização tem um compromisso com o planeta, o que a leva a atuar de modo sustentável em cada aspecto do negócio. Afinal, responsabilidade ambiental também é com a Bosch!

Desde 2015, a Bosch América Latina já conseguiu reduzir:

Sustentabilidade - Infográfico - O que a Bosch América Latina reduziu de emissão de carbono

Para o Grupo Bosch, sustentabilidade significa o sucesso a longo prazo da empresa e, ao mesmo tempo, a proteção do meio ambiente para as futuras gerações. O objetivo é tornar as energias renováveis mais acessíveis do ponto de vista econômico e a mobilidade ainda mais segura, limpa e econômica, assim como desenvolver produtos que respeitam o meio ambiente.

A Bosch e a sustentabilidade

Com base nos três principais pilares da sustentabilidade, a Bosch estabeleceu seus próprios pilares estratégicos e ainda está totalmente engajada com os ODS. Para que você conheça um pouco mais sobre o trabalho da empresa em sustentabilidade, veja as áreas nas quais a Bosch se destaca!

sustentabilidade pilares 2025

Clima

Apenas em 2018, a Bosch executou cerca de 500 projetos de eficiência energética, reduzindo o consumo de energia em cerca de 1,5%. A manufatura conectada também se tornou um fator-chave para a eficiência, tendo a empresa implementado sua plataforma de energia em mais de 30 fábricas ao redor do mundo.

Na Bosch América Latina, o trabalho começou em 2008, com a definição de um time multidisciplinar que implementaria tanto ações quanto projetos que visavam à redução das emissões. Com a declaração de neutralidade de CO2, o time se reestruturou e elaborou uma visão estratégica contemplando os quatro níveis de atuação para atingir a neutralidade:

  • eficiência energética — com grande potencial para reduzir o consumo de energia;
  • foco — será na geração de energia solar da própria Bosch (CaP e CtP);
  • compra de energia verde — fontes renováveis e com garantia de origem (energias eólica, solar e hidrelétrica, entre outras);
  • compra de créditos de carbono — a fim de compensar aquelas emissões que não podem ser evitadas.

Nas fábricas da Bosch no Brasil, foram realizadas ações com o objetivo de melhorar a eficiência energética e a economia de energia elétrica. A troca de lâmpadas convencionais por LED, por exemplo, ajudou a reduzir o consumo de energia em cerca de 35%. Por sua vez, as mudanças nos equipamentos de climatização trouxeram uma economia em torno de 12%.

Também foi implementado um software para monitoramento de máquinas, equipamentos e prédios. A ferramenta ajuda a reconhecer a eficiência energética de cada processo, ajudando assim na redução do consumo de energia. Além disso, a Bosch realiza campanhas de conscientização junto aos seus colaboradores. Elas estão alinhadas aos objetivos globais da organização a respeito de questões ambientais.

“Desde quando foram estabelecidas metas para reduzir emissões de CO₂, em 2008, nós nos organizamos em um time multidisciplinar para traçar a estratégia da região e, juntos, alcançamos os objetivos. Neste ano, desde o anúncio feito pelo G1 de se tornar CO₂ neutro já em 2020, o Comitê tem trabalhado na visão e estratégia da região. Agora, estamos ainda mais motivados para contribuir com uma ação tão importante para a proteção climática”, comenta Hervelly Ferreira, responsável pela implantação das ações de HSE na Bosch América Latina.

Energia

A eficiência energética é a chave para atingir a meta climática. A Bosch estabeleceu o propósito de economizar 1,7 terawatt-hora (TWh) de energia até 2030. Com investimentos de um bilhão de euros, a empresa visa à promoção de medidas inovadoras para melhorar a eficiência energética. Isso ajudará a:

  • diminuir o consumo e o desperdício;
  • desenvolver novas tecnologias;
  • incentivar a adoção de fontes limpas em todo o mundo.

Para que isso fosse possível, a Bosch elaborou um plano de ação como forma de:

  • otimizar o uso dos seus equipamentos;
  • aplicar novas tecnologias;
  • melhorar seus próprios processos;
  • trabalhar na conscientização dos colaboradores.

Por meio do Programa de Eficiência Energética realizado em parceria com a empresa de energia CPFL, foi reduzido o consumo de 483 MWh por ano de energia elétrica. Isso aconteceu graças à instalação de lâmpadas de LED em um pavilhão fabril na cidade de Campinas, representando menos 58 toneladas de CO₂ na atmosfera.

Além disso, outras ações com esse enfoque são realizadas na planta, o que gera a diminuição total de 3.600 MWH por ano, reduzindo mais 432 toneladas de CO₂. Já na unidade Bosch de Curitiba a empresa está deixando de emitir mais de 230 toneladas de CO₂, resultado da redução de 2.000 MWH por ano de energia elétrica.

Carbono neutro

A empresa encara a ação climática como uma das suas grandes responsabilidades. O trabalho foi iniciado em 2008 na América Latina, e, no momento atual, as ações têm se intensificado.

Ao alcançar a neutralidade na emissão de carbono, a Bosch fará a sua parte para o cumprimento do Acordo de Paris (2015). Para atingir a meta, a empresa também tem feito a aquisição de energias verdes e participação em programas de compensação de carbono.

Água

A Bosch tem 61 unidades localizadas nas regiões mais secas do mundo. Com isso, tem o objetivo de alcançar a autossuficiência em água industrial. Um sistema faz a captação do volume de água descartado como efluente para que ele circule novamente nos processos produtivos.

A solução adotada na unidade de Campinas, por exemplo, é a reutilização da água potável consumida, destinada à produção ou direcionada à estação de tratamento da Bosch. Em paralelo, a água da chuva é aproveitada pela empresa.

Todo o volume da precipitação é canalizado para um lago artificial com capacidade para 65 milhões de litros. E para que essas ações ganhem eficácia, os colaboradores passaram por treinamentos para se conscientizarem sobre a importância do uso responsável da água.

A estrutura foi reprojetada com foco nessa autossuficiência em água. A rede de hidrantes facilita a detecção de vazamentos, bem como a sua correção, sendo que o sistema foi projetado para reduzir a evaporação. Com tudo isso, a Bosch já alcançou excelentes números:

  • 207 mil m³ de água recirculada por ano;
  • 133,2 milhões de litros economizados por ano;
  • redução de 50% do consumo de água nos processos industriais.

Embora o Brasil não seja um país com alto potencial de escassez de recursos hídricos, algumas cidades têm sofrido com o racionamento e a falta de água frequente nos últimos anos. As águas residuais das instalações da Bosch são geradas especialmente pelo uso de águas de resfriamento. Também vêm de instalações sanitárias e cantinas e são geradas como parte da fabricação. A ideia é diminuir esse fluxo de águas residuais e melhorar continuamente a qualidade.

Urbanização

Com o crescimento da urbanização, os produtos usados e descartados no dia a dia deixam uma pegada ecológica. Para tornar esse impacto o menor possível, a Bosch já realizou avaliações de ciclo de vida em seus principais grupos de produtos, o que representa cerca de 50% do volume de vendas da empresa. A Bosch usa os resultados dessas análises para identificar o potencial de melhoria do impacto ecológico e social de seus produtos.

Resíduos na produção formam o segundo ponto focal das atividades relacionadas à urbanização. A Bosch substituiu sua meta anterior por duas novas: diminuir os resíduos considerados perigosos e reduzir a quantidade de resíduos que vai para os aterros. Além disso, a empresa tem no Brasil um programa que garante a adequada destinação dos produtos no fim da sua vida útil, diminuindo assim os resíduos no lixo comum.

Globalização

Como uma empresa global com cerca de 440 subsidiárias e empresas regionais, mais de 398 mil colaboradores, a Bosch está comprometida com a responsabilidade social e ambiental. Dessa forma, ela busca tornar transparente o impacto ecológico, social e econômico de seus negócios e aprimorar seu desempenho em termos de sustentabilidade.

Para esse fim, a Bosch continua a melhorar suas práticas de relatórios em linha com os padrões internacionais e a comunicar seu progresso anualmente. Como uma empresa que faz negócios com responsabilidade, a Bosch está cada vez mais atenta à cadeia de suprimentos upstream (os fornecedores dos fornecedores) no contexto do fluxo global de mercadorias.

Os fornecedores passam por auditorias de vários tipos, que pretendem assegurar o alinhamento deles às práticas da Bosch e que atendem à legislação. Exemplos disso são os receptores de resíduos, que são avaliados de tempos em tempos com relação aos aspectos ambientais e de segurança do trabalho. Caso tenham infrações ou práticas inadequadas, são notificados para tomada de ações corretivas ou até rompimento da relação contratual — em caso de não atendimento da solicitação.

Saúde e Segurança

A Bosch está comprometida em proteger as pessoas e o meio ambiente. Ainda em 2020, a empresa pretende reduzir o número de acidentes por milhão de horas trabalhadas para um máximo de 1,7. Uma vez que a maioria dos acidentes é consequência de algum comportamento humano, a empresa aposta no reconhecimento dos riscos de acidentes e de saúde dos colaboradores, de modo a introduzir com antecedência as medidas preventivas adequadas.

Garantir que substâncias proibidas não sejam usadas e reduzir o uso de substâncias preocupantes são fatores decisivos para proteger as pessoas, mas também o meio ambiente.Para gerenciar de maneira eficaz as restrições e proibições de substâncias, especialmente para produtos, a Bosch está expandindo seu sistema de gerenciamento de dados de materiais corporativos para conformidade e sustentabilidade.

O sistema de TI escalável permite checar listas de materiais utilizados nos produtos automaticamente e garantir o cumprimento das regulamentações.

A RBLA tem um dos menores índices de acidentes do grupo Bosch mundial. Em 2020, a taxa de frequência de acidentes está em 0,14 (acidentes por 1 milhão de horas trabalhadas). Além disso, a empresa tem implementado uma grande campanha corporativa chamada Safety Basics, que trata dos aspectos comportamentais da prevenção de acidentes. Ela também tem investido fortemente na proteção de máquinas, ambientes de trabalho seguros, sistemas de prevenção contra incêndios e ações para melhoria da ergonomia, entre outros.

Praticar a sustentabilidade envolve ações que impactam a geração atual e preservam o planeta e seus recursos para as gerações futuras. A Bosch tem trabalhado com afinco e mantido o foco no desenvolvimento sustentável, fazendo sua parte para deixar um legado positivo e contribuir para alcançar os ODS de 2030 da ONU.

Conheça um pouco mais sobre as histórias de sucesso da Bosch. Acesse o site e confira tudo o que ela já conquistou e construiu até aqui!

Compartilhe isso no: