Importância da Educação Banner

Importância da educação: como promovê-la?

Educação de qualidade nos conecta com o desenvolvimento

A educação é um dos pilares mais importantes na construção de uma cidadania participativa. Mas você realmente conhece a importância da educação para os indivíduos e para o país?

O tema é tão necessário que assegurar uma educação inclusiva, equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos é o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 4!

Importância da educação: vantagens para o país

Alunos aprendendo

Além de ser um direito fundamental, a educação também impacta todas as demais áreas de atuação, afinal, é a partir dela que os indivíduos se desenvolvem como cidadãos e profissionais. Além de aumentar as chances de uma pessoa conseguir um bom emprego, esse recurso também é essencial para o desenvolvimento econômico de um país.

Combate à pobreza

De maneira ampla, quanto mais as pessoas adquirirem conhecimento e se qualificam, maiores serão as oportunidades que terão no mercado de trabalho, afinal, a educação é essencial para aprender, entre outras coisas, os conhecimentos básicos utilizados no dia a dia, como a língua portuguesa como a alfabetização.

Além disso, existem diversos dados que comprovam que quanto mais anos de estudos maior é o rendimento de uma pessoa, o que é um fator determinante para superar a pobreza. Logo, se todas as pessoas tivessem acesso a uma educação de qualidade, também teriam mais chances de se desenvolverem, aprimorarem suas habilidades e aumentarem sua empregabilidade.

Fortalecimento da democracia

O conhecimento é uma chave para criar cidadãos mais críticos, conscientes e participativos em relação aos seus direitos e deveres. Nesse sentido, a educação também é importante para orientar sobre o cumprimento dos chamados deveres cívicos.

Portanto, a escolaridade também é um fator que contribui para ter eleitores ativos e mais interessados em questões políticas, preocupados com o desenvolvimento e engajados socialmente. Isso os torna mais exigentes, mas, também, mais comprometidos.

Redução da violência

A violência, em muitos casos, é causada pela pobreza e desigualdade social. Portanto, se a educação tem potencial para reduzir essa disparidade, colocando todas as crianças dentro de uma escola para aprenderem com qualidade, logo, ela também contribui para a conquista de uma sociedade menos violenta.

Outro aspecto positivo nesse sentido é que o conhecimento ajuda a ampliar barreiras, ter contato com a diversidade e a tolerar as diferenças. Isso é um fator positivo para superar a intolerância, que geralmente é uma das causas dos conflitos humanos.

Crescimento econômico

Já mencionamos que a educação é capaz de fazer a economia de um país crescer, mas como isso acontece? Bem, os países que têm na educação de qualidade a base para o desenvolvimento de seus cidadãos, também têm uma força de trabalho acima da média, mais capacitada e com empregos melhores.

Na prática, isso significa que as pessoas ganham mais dinheiro, consomem mais e recolhem mais impostos. Isso dá ao governo ainda mais recursos para que possa investir em melhorias sociais de diversos âmbitos, tanto na própria educação, como em saúde, infraestrutura e assim por diante.

Panorama brasileiro da educação: dados relevantes

O Brasil ainda tem 11 milhões de analfabetos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2019, o que corresponde a 6,6% da população com idade igual ou superior a 15 anos. As regiões que lideram essa taxa são respectivamente o Nordeste, com 13,9%, e a região Norte, com 7,6%.

Esses números indicam que o Brasil ainda caminha a passos lentos em relação à meta estipulada no Plano Nacional de Educação (PNE), Lei 13.005/2014, que

visa a erradicação do analfabetismo no país. No ano de 2019, o resultado foi próximo da meta parcial para 2015.

Outro dado importante é que no Brasil cerca de 63,5% dos jovens com idade entre 14 e 29 anos estão fora das salas de aula. O trabalho e a falta de interesse pelos estudos são alguns dos motivos desse resultado — um grande desafio para a educação brasileira.

Avanços na educação: rumo ao progresso

Apesar do atraso no cumprimento de algumas metas, o Brasil segue avançando e progredindo na educação, especialmente no nível básico. Veja mais.

Professor ensinando

Educação Educativa

Uma das metas do Plano Nacional de Educação é que seja proporcionado “o acesso à Educação Básica e ao atendimento educacional especializado para toda a população de 4 a 17 anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação”. Isso é algo que coloca a educação inclusiva como um dos pilares para a universalização de uma educação de qualidade no país.

Diversas medidas são tomadas para que a legislação brasileira evolua, de acordo com os tratados internacionais, para que os estudantes com deficiência tenham melhores condições de educação e não sejam segregados dos demais.

Ensino obrigatório e universal

Apesar do tempo que esse objetivo é parte do planejamento federal (desde 2013), a universalização do ensino está longe de ser uma realidade brasileira. Desde que foi oficializada, a Lei define que as crianças sejam iniciadas na Educação Infantil desde a primeira infância, ou seja, de zero a seis anos.

A partir dessa medida, avanços importantes foram conquistados, desde o crescimento de matrículas nas creches até toda a expansão da rede de cobertura de ensino em todos os níveis.

O impacto desse investimento é o aumento da frequência escolar no ensino regular em todas as faixas de idade, mas isso ainda não é o bastante. Também é preciso alcançar a melhoria da qualidade do ensino, já que garantir a matrícula não significa permanência nem mesmo estímulo suficiente para que os jovens continuem estudando e adquirindo conhecimento

Desafios na educação: superação para o desenvolvimento

Ensinando crianças

A educação, assim como diversas outras áreas fundamentais para o desenvolvimento de uma nação, também enfrenta desafios ao longo do caminho. Confira quais são as maiores dificuldades encontradas para melhorar a educação brasileira.

Falta de investimentos

O investimento em educação é um dos principais fatores que ajudam os países a conquistarem a posição de desenvolvidos. No entanto, muitas escolas brasileiras recebem pouquíssima verba para implementar mudanças importantes como laboratórios eficientes, computadores funcionais, bibliotecas equipadas e até mesmo melhorar a remuneração dos professores.

Modelo de formação de docentes

Em geral, os professores no Brasil recebem uma formação massiva em sua área de atuação (português, matemática, geografia etc.),mas pouca ou nenhuma em didática e pedagogia para passarem a diante seus conhecimentos. Por isso, é importante investir na capacitação sobretudo para lidar com crianças e adolescentes, compreendendo profundamente seus processos de aprendizagem e dominando diferentes metodologias de ensino.

Fortalecimento da escola pública

O fortalecimento da escola pública é outro desafio a ser enfrentado. Em um modelo de atuação escola-comunidade, é possível que os pais participem mais ativamente da vida escolar dos filhos, contribuindo inclusive para fatores como a inclusão de alunos com deficiência, tratamento e acolhimento da diversidade e assim por diante.

Robert Bosch

A educação liberta!

Robert Bosch (1861-1942)

A frase dita em 1923 por Robert Bosch inspirou o Instituto Robert Bosch a definir uma das suas principais causas, a Educação. Ao investir em uma série de atividades educacionais, o Instituto mostra que, mesmo em meio a um cenário desfavorável, surgem conexões poderosas capazes de socializar conhecimento e experiências.

Ao atuar em ações com foco na educação de crianças e jovens, o Instituto Robert Bosch promove o desenvolvimento social de comunidades próximas às fábricas. São dezenas de projetos nas áreas de voluntariado, formação socioemocional, projetos apoiados, tecnologias digitais e profissionalização.

Conheça os principais projetos

Ensinando adolescentes

Formação Profissional

A profissionalização de jovens que residem próximos as plantas da Bosch é um dos pilares do Instituto. Além de qualificá-los para o mercado de trabalho, os projetos proporcionam desenvolvimento social dos adolescentes e de seus familiares.

Formação Socioemocional

Os cursos oferecidos nos Projetos de Formação Social têm como objetivo melhorar o desenvolvimento social e emocional de adolescentes, além de ampliar competências importantes para a sua futura inserção no mercado de trabalho e na formação cidadã.

Tecnologias Digitais

O Instituto promove a inclusão de jovens nas novas tecnologias, para que eles possam contribuir positivamente na sociedade e se prepararem para o mercado de trabalho.

Programa de Voluntariado Corporativo

Com grande importância para o Instituto Robert Bosch, o programa de voluntariado mobiliza em média 700 colaboradores por ano nas cidades onde a Bosch está presente. As ações ajudam anualmente cerca de 4.700 pessoas. O voluntário desenvolve habilidades e competências como por exemplo, o trabalho em time e o comprometimento. Além de ser um diferencial no mundo corporativo, o voluntariado empresarial fortalece o engajamento do colaborador e o coloca em contato com seus princípios de vida.

Formação de aprendizes Bosch: incentivo à educação e aposta em jovens talentos

Além das ações do Instituto, a empresa conta também com o programa de formação de aprendizes nos Centros de Aprendizagem da Bosch. Em parceria com o Serviço Nacional da Indústria (SENAI), eles têm o objetivo de proporcionar aos jovens um primeiro contato com o trabalho e, assim, permitir que eles coloquem em prática seus conhecimentos e habilidades durante o período do programa.

Além de todos os benefícios trabalhistas, os jovens contam com uma ampla infraestrutura em oficinas para treinamentos, equipamentos, instrutores qualificados e voluntários, que fazem parte do processo de aprendizagem desses estudantes. Os cursos preparam os alunos para o mercado de trabalho e, ao mesmo tempo, envolvem a família no processo de desenvolvimento pessoal.

A parceria entre a Bosch e o Senai acontece desde 1960 e já são mais de 2.500 profissionais qualificados neste período. Nos últimos dez anos, a taxa de efetivação na empresa foi de aproximadamente 90%.

Promover a educação nos conecta com um mundo melhor!

Voluntária ensinando

Saiba mais sobre o Instituto Robert Bosch:

https://www.institutorobertbosch.org.br/

Agora que você já conhece a importância da educação no Brasil, sua importância, vantagens e desafios, que tal continuar descobrindo mais sobre a Bosch?

Logo Instituto Robert Bosch

Compartilhe isso no: