Mãos cultivando terra com uma muda de planta

Carbono neutro: quais são as técnicas mais utilizadas?

A emissão excessiva de dióxido de carbono na atmosfera vem provocando problemas graves para a natureza, saúde das pessoas e o planeta como um todo. Por isso, cada vez mais pessoas e empresas vêm buscando soluções para reduzir os impactos de suas ações no meio ambiente: uma delas é a neutralidade de carbono.

Com um compromisso social e o uso consciente de recursos, é possível reduzir significativamente a emissão de gases de efeito estufa, mas isso já não é mais o suficiente. É preciso também investir em maneiras de reverter o prejuízo já causado à atmosfera, erradicando nossa relação insustentável com o planeta.

Quer saber como isso está sendo feito? Confira a seguir o que é o carbono neutro, como alcançar a condição de neutralização e o papel da Bosch nesse sentido. Boa leitura!

O que é a neutralidade de carbono?

Vista aerea de pessoas andando em fila com paisagem verde ao fundo

Neutralidade de carbono é uma alternativa que busca evitar as consequências do desequilíbrio do efeito estufa (causado pelo excesso de emissões de poluentes como o dióxido de carbono), a partir de um cálculo geral de emissão de carbono. Ser carbono neutro significa reduzir onde é possível e balancear o restante das emissões por meio da compensação, que pode ser feita pela compra de créditos de carbono ou recuperação de florestas em áreas degradadas.

Trata-se, portanto, de uma alternativa para solucionar boa parte dos dilemas ecológicos existentes hoje.

Já é possível calcular a quantidade de CO2 emitida tanto por pessoa quanto por empresa, por produto ou pelo próprio governo.

Geralmente, isso é feito com base nas informações proporcionadas sobre o consumo de alguém ou ainda por meio de um inventário de emissão de carbono das empresas.

A partir disso, é iniciado o objetivo de neutralização de carbono, ou seja, a adoção de medidas que minimizem tanto quanto for possível a emissão de CO2 e os mecanismos de compensação de emissões. Elas podem variar desde ações como a economia de energia e reutilização da água até outras atividades mais complexas, especialmente no caso das indústrias.

Em geral, é gerada uma quantidade enorme de CO2 para realizar praticamente qualquer atividade no dia a dia. Acontece que essa produção é mais do que a terra pode aguentar, o que significa uma maior quantidade de poluição do que a natureza dá conta de reverter ou se recuperar.

Essa dinâmica gera consequências desastrosas, como as mudanças

climáticas que vão desde o aquecimento global até a elevação do nível do mar, as alterações no bioma, na fauna e na flora, entre outras. E se você acha que isso afeta pouco a sua vida, saiba que a sua saúde está em risco com tantos prejuízos ambientais, que causam problemas como:

  • maior incidência de problemas respiratórios;
  • aumento do risco de catarata e câncer de pele;
  • mais doenças cardiovasculares e AVCs;
  • exaustão por excesso de calor ou insolação;
  • desnutrição e obesidade;
  • maior nível de estresse.

A lista é realmente grande, mas é possível entender a gravidade do caso. O ponto é que a neutralização do carbono é uma medida indispensável para tentar retardar esse cenário que põe em risco a sustentabilidade do planeta.

Quais são as principais técnicas de neutralização de carbono?

Carbono neutro

Quando mencionado que praticamente qualquer atividade gera carbono, isso significa que até mesmo uma colheita mecanizada ou o deslocamento do carro até o trabalho gera um prejuízo ambiental. Da mesma forma, a comida adquirida no supermercado também passa por processos que acabam emitindo CO2.

Sendo assim, é fundamental que medidas sejam adotadas por todos a fim de mitigar as consequências e buscar a neutralização de carbono, desacelerando o aquecimento global e contribuindo para a qualidade de vida.

Isso pode ser feito por meio de diferentes ações, como:

  • utilização de energias renováveis;
  • descarte correto de resíduos e compostagem de orgânicos;
  • uso eficiente dos recursos naturais (ex. água, minerais, alimentos);
  • desenvolvimento de produtos e processos produtivos mais eficientes no uso de recursos naturais;
  • redução do consumo supérfluo de quaisquer itens (alimentação, vestuário);
  • plantio de árvores;

Essas são algumas das principais técnicas utilizadas para minimizar a emissão de carbono e reverter os efeitos do gás já presente na atmosfera.

O que é uma empresa carbono neutro?

Ser uma empresa carbono neutro significa calcular e monitorar o total das emissões de CO2 que a atividade realizada está produzindo, além de tentar reduzir esse impacto ao máximo. Aquelas emissões que não puderem ser extintas devem ser compensadas por outros meios, como a compra de créditos de carbono, entre outros.

A compensação por crédito de carbono se dá através da recuperação e preservação de florestas e mares, que tem uma função essencial no sequestro de CO2 da atmosfera. Organizações que trabalham na recuperação e preservação de florestas e mares podem gerar um crédito por cada CO2 sequestrado e vender a outras organizações que não conseguem evitar as emissões, de forma a atingir a neutralidade. Dessa maneira, as empresas devedoras podem comprar créditos de carbono para que as credoras continuem investindo na limpeza da atmosfera. O resultado é um aumento de preservação e recuperação da natureza, reversão da poluição do ar, além da redução dos impactos no clima.

Como a Bosch está posicionada em relação ao carbono neutro?

Mãos unidas segurando o planeta

A Bosch está ciente de todas as urgências do planeta quanto à preservação ambiental e à desaceleração do efeito estufa; por isso reforça seu pacto com a sociedade. Para isso, a companhia planeja atingir a neutralidade completa já em 2020. O foco é zerar todas as emissões de carbono nas 400 localidades pelo mundo, incluindo as unidades de engenharia, manufatura e administração.

A visão da Bosch é de responsabilidade direta pela ação climática. Isso é o que facilita a adoção de medidas como a compra de energia verde (produzida a partir de fontes 100% renováveis), o aumento da auto geração de energia renovável e a impulsão da eficiência energética em todos os locais.

Desde 2007, a empresa vem tentando reduzir ao máximo suas emissões de carbono, intensificando esse objetivo nos últimos anos. Para o futuro, a meta é não só reduzir a emissão de carbono, como compensar toda a emissão residual com medidas, como:

  • investimento em projetos ambientais certificados;
  • apoio ao desenvolvimento social e ecológico;
  • intensificação dos investimentos em energias renováveis;
  • ampliação dos sistemas fotovoltaicos próprios;
  • assinatura de contratos exclusivos de fornecimento de energia com parques eólicos e solares;
  • realização de campanhas de conscientização e sensibilização dos colaboradores;
  • medida de eficiência energética e economia de energia em todos os processos da empresa.
Carbono neutro

A Bosch reconhece a importância de reduzir a emissão de carbono nas próprias instalações, mas também firma o compromisso de colaborar com outras iniciativas que visem a qualidade climática para todos. O carbono neutro é um compromisso da Bosch com toda a sociedade e com o planeta.

Como visto, com algumas medidas que podem ser alcançadas pelas pessoas, empresas e governos, é possível conquistar a condição de carbono neutro. O primeiro passo é identificar o impacto que você ou a sua empresa causam e, a partir daí, buscar maneiras de minimizar as consequências provocadas pelas suas atividades.

Mudar atitudes nos conecta com uma vida melhor!

Compartilhe isso no: